Já se preguntou em que gasta o governo?

Você já se preguntou onde vão seus impostos? Bom. Se sabe que uma parte dos gastos públicos são destinados para Educação, Saúde, Segurança, etc. Mas, que mais? Quanto se gasta no aparato administrativo que mantém em andamento as engrenagens do sistema governamental, e quanto nos juros que são pagos aos rentistas que recebem aproximadamente 14-15% ao ano sobre seu capital investido em títulos de renda fixa?

Ainda que meu foco são as ações sempre é bom ver um pouco a evolução da renda fixa e a conjuntura macroeconômica. É por isso que tentarei explicar de um jeito simples e rápido por meio de ferramentas visuais.

screenshot-6

Como se pode observar na Tabela 1.1 a maioria das despesas no Brasil estão destinadas a movimentos financeiros, representando esse valor 31%. Enquanto as despesas em educação representam 20% seguidas de perto pela previdência social (17%) e saúde (14%).

screenshot-8

Por meio do Gráfico 1.0 pode-se apreciar o aumento, em termos reais, da previdência social ao longo do período. Como assim também o valor dos Encargos Especiais e sua grande representação na ponderação das despesas do Estado, sendo o valor médio R$100 bilhões.

screenshot-3

Finalmente, na Tabela 1.2 estão representadas as subfunções da função que mais se destaca nos gastos públicos (Encargos Especiais), e desconsiderando as transferências entre as UF e a União e Outros Encargos Especiais que não são definidos. É interessante destacar que a tendencia do endividamento e o pagamento de juros só tem aumentado nos últimos tempos.

É minha opinião pessoal que para o Brasil se recuperar desta crise deve implementar politicas keynesianas em detrimento das politicas de ajuste fiscal que, sem sucesso, está tentando realizar.

Em momentos assim pensar em ajustes na previdência social, em saúde e educação é o mais prejudicial que pode existir para o pais, para os empreendedores, investidores e empresas que tem a capacidade de produzir e gerar emprego. Não só pelo fato de que estes ajustes irão criar uma piora dos serviços públicos e reduzirão a demanda do setor publico e seu efeito multiplicador sobre a demanda total; senão porque será inviável empregar uma população doente e analfabeta. Principalmente quando existe uma taxa de juros elevadíssima recompensando a quem vive, sem risco nenhum, a costas dos contribuintes. Enquanto microempreendedores, inovação, tecnologia e investimento produtivo se afundam na impossibilidade de se financiar e de obter demanda ante uma situação politica-econômica caótica.

Edit: Só para complementar com dados mais recentes. No ano 2015, em valores nominais, foram gastos os seguintes valores em todos os estados do Brasil, unicamente em despesas da divida publica:

untitled

@edwalves Financial adviser, entrepreneur, economist. #economics #BRICS #technology #nature #development #value #investing

Tagged with: , , , , , , , , , ,

Leave a Reply